“Leite materno é vida para os prematuros”, ressalta médico neonatologista da Santa Casa de Sobral

IMG_6468

Que a amamentação exclusiva até os seis meses de idade é importante para o bebê, isso a gente já sabe. O que a gente não está acostumado a perceber é essa importância para os nossos menores guerreiros: os prematuros.

Ao contrário do que muita gente pensa, os bebês que chegam antes da hora e precisam de Unidades de Terapias Neonatais (UTINs), não ficam sem comer. O amor de mãe que nasce mais cedo com aquele prematuro ajuda a fazer surgir o leite materno. Este, a beira leito, é um dos melhores estímulos para o amadurecimento do bebê.

O leite materno ordenhado a beira leito funciona como uma medicação viva. Possui composição química, anticorpos e imunomoduladores específicos, adaptados para aquela condição de prematuridade e, além disso, respondem aos estímulos daquele ambiente hostil: a UTI Neonatal. Oferecer de forma precoce o leite ordenhado protege o bebê, ajuda no amadurecimento e estimula o desenvolvimento de múltiplos sistemas do organismo do prematuro.

Quando o leite, por algum motivo, não vem da própria mãe, surge como fruto da generosidade da doação de muitas outras. Podemos assim, ver a grande importância dos bancos de leite e suas doadoras. Mães que produzem além da necessidade dos seus bebês e partilham, para a alimentação mais natural possível aos pequenos pacientes.

Vemos assim, mais demonstrações da grande prova de amor que é amamentar e doar quando possível. Um ato de coragem, sabedoria e carinho que os prematuros agradecem bastante no futuro.

Por José Ueides Fechine Júnior, médico neonatologista da Santa Casa de Sobral.

Para doar, ligue para o Posto de Coleta de Leite Humano da Santa Casa: (88) 3112 – 0501 ou entre em contato conosco através das redes sociais!

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Facebook
YOUTUBE
YOUTUBE
Instagram