Serviço de Emergência da Santa Casa de Misericórdia de Sobral inicia segunda etapa da implantação do Protocolo Manchester

Protocolo

Durante dois dias, o serviço de Emergência da Santa Casa de Misericórdia de Sobral recebeu a auditoria do Grupo Brasileiro de Classificação de Risco com o objetivo de avaliar a implantação do Protocolo Manchester no setor. Na quinta-feira (23/01), os enfermeiros e a coordenação médica do serviço participaram de uma capacitação sobre auditoria. Nesta segunda fase do processo de implantação do protocolo, eles serão os auditores da própria equipe, o que irá permitir o bom funcionamento do serviço de urgência.

“A partir da análise dos dados vamos dar um retorno do que precisa ser mantido. O que achei mais interessante foi o empenho da equipe, da gestão e do Departamento de Ensino neste processo “, disse enfermeiro, especialista em Administração de Serviços de Saúde (USP) e consultor do Grupo Brasileiro de Classificação de Risco, Geraldo Silvério de Oliveira.

De acordo com as Diretrizes do Grupo Brasileiro de Classificação de Risco, “o Protocolo de Manchester além de permitir a priorização clínica dos pacientes é uma ferramenta de gestão do risco clínico robusta e passível de auditoria. Por si só, é útil na identificação de doentes de alto risco e constitui a base de toda organização do serviço de urgência”.

Manchester

O Protocolo de Manchester é uma ferramenta de classificação de risco que atribui uma prioridade clínica ao paciente. É aplicado em 100% dos pacientes para avaliar e priorizar a gravidade dos casos. São cinco prioridades clínicas, sendo o vermelho mais grave e o azul menos grave. Entre os objetivos do sistema de Manchester está identificar rapidamente pacientes em risco de morte e a prioridade clínica de forma objetiva e sistematizada. Também pretende definir o tempo-alvo para avaliação médica, caracterizar os usuários e prever fluxos de encaminhamento dos pacientes, promovendo a organização do serviço. Recebeu esse nome por ter sido aplicado pela primeira vez na cidade de Manchester, em 1997. Hoje, vários países utilizam o sistema de forma praticamente integral.

1) Emergência (vermelho) – necessitam de atendimento imediato
2) Muito urgente (laranja) – necessitam de atendimento praticamente imediato
3) Urgente (amarelo) – necessitam de atendimento rápido, mas podem aguardar
4) Pouco urgente (verde) – podem aguardar atendimento ou serem encaminhados a outros serviços de saúde
5) Não urgente (azul) – podem aguardar atendimento ou serem encaminhados a outros serviços de saúde

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial